logolaranja.png
..::data e hora::.. 00:00:00
Produtor cria ‘escola’ voltada ao
desenvolvimento de carreira de jovens rurais

   Depois da morte dos pais, há mais de quatro anos, o advogado Raphael Houayek, hoje com 39 anos, decidiu deixar Porto Alegre, abandonar a carreira no Ministério Público e se mudar para Alegrete para administrar a fazenda da família. Ficou evidente, logo na chegada, tanto a carência de controles internos para gerenciar a propriedade como sua própria necessidade de se reinventar. E de olhar o campo com outros olhos, mais profissionais.
Foi assim que nasceu também o projeto de qualificar os jovens do campo de uma forma mais estratégica, e não apenas técnicas, unindo uma visão mais ampla, de criar sua própria carreira voltada ao agronegócio, com aulas online e parte prática, para pequenos grupos em um alojamento dentro da Fazenda Esperança (que em breve deve abrigar uma sede física). A metodologia do pecuarista resume é baseada em “posicionamento, diferenciação e desenvolvimento”.
   O resultado? Uma escola de qualificação pessoal, batizada como “Universidade Esperança”, que já recebeu mais de 2 mil alunos desde então. Hoje, conta Houayek, são quatro cursos, um deles na sétima turma, o Segredos do Sucesso no Agronegócio.  “Ensino os jovens a se posicionarem como uma marca, com foco onde querem chegar. Isso inclui comportamento, planejamento estratégia de futuro profissional, por exemplo, que não estão nas grades de ensino dos cursos de Veterinária ou Agronomia, que focam na técnica”, explica o produtor.
   O diferencial é falar a linguagem dos jovens rurais, mas o foco são profissionais do campo, e não formar produtores rurais, detalha o pecuarista. Houayek enfatiza muito, por exemplo, a necessidade de os profissionais saberem lidar com pessoas. Seja nas atividades campeiras, na gestão de empregados ou na mesa de negociações com clientes e fornecedores.
“As empresas contratam um veterinário, e outros profissionais, por exemplo, pela técnica, mas demitem pelo comportamento. A técnica se aprende nas faculdades específicas, mas esse olhar direto sobre a carreira não há”, opina Houayek.
   Na Fazenda Esperança, que na gestão do advogado migrou da simples criação de animais destinados ao abate para agregar também alta genética, são criadas hoje 1,5 mil cabeças. Foi lá que se “formou” o próprio gerente da fazenda que, sem deixar o trabalho na Esperança, também gerencia outras três propriedades rurais. Isso com apenas 26 anos.
Paulinho, como é chamado por Houayek, passou por diferentes treinamentos e hoje é um exemplo constantemente citado pelo produtor em palestras, o que incluiu desenhar seu próprio plano de carreira, aprender a operar com processos, pessoas, finanças e, claro, com uma boa dose de marketing.
   Dez estudantes por semestre participam de atividades especiais e palestras presenciais com consultores do setor sobre pecuária pelo período de 30 dias. Eles são selecionados entre os jovens inscritos, que pagam cerca de R$ 900 pelo curso, mas a imersão na propriedade é para um grupo de jovens convidados e sem custos. “Pelo menos cinco jovens por semestre recebem bolsa para receber a qualificação, por seus históricos de vida. E nas páginas da Universidade Esperança há vários ferramentas, conteúdos gratuitos e lives”, ressalta Houayek.

Thiago Copetti, jornalista - JC

linha.png