logolaranja.png
..::data e hora::.. 00:00:00
Col Nilson Gomes.jpg

Bastidores:

R$ 135  bilhões pra Agro

   No dia 28 de junho de 2021, o Governo Federal oficializou maior Plano Safra do Brasil.  Somente o Banco do Brasil foram liberados R$ 135 bilhões para Crédito de nossos produtores pequenos, médios e grandes nos  mais de 5,4 mil municípios em rede nacional –através de Live que, participou o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, Ministro da Economia, Paulo Guedes, da Agricultura, Tereza
Cristina, Presidente do Banco do Brasil, Fausto de Andrade Ribeiro, Roberto Campos Neto, Presidente do Banco Central, além de autoridades e produtores  que assinaram  seus contratos On line nos mais diversos Estados.
Para Agricultura  Familiar serão liberados R$ 34 bilhões, isto correspondendo R$ 460 milhões liberados por dia aos tomadores destes recursos, aquisição e 48 mil máquinas- Tratores, Colheitadeiras,... e  atendidos  5.400 municípios, antes e depois da porteira, disse  Fausto Ribeiro em sua fala.

 Plano Safra 2021/2022

   O Plano Safra 2021/2022, teve lançamento simultâneo para Brasil inteiro,  quando aconteceram atos  junto as Superintendências de Uberaba –Minas Gerais;  em Cascavel-Paraná;   Ribeirão Preto- São Paulo;  Campo Grande- Mato Grosso do Sul. Na opinião de produtores, dirigentes Cooperativistas, Industriais e lideranças ouvidas, foram unanimes em afirmar que este é o caminho para o país chegar a produção das 300 milhões de toneladas de alimentos, conforme  desafio da Ministra da Agricultura, Tereza  Cristina – que tens reconhecimento de todos os setores produtivos do agro pela  sua capacidade de  articulação, prestígio e competência como produtora rural no Mato Grosso do Sul.

Perda de protagonismo

   Enquanto o governador do RS, Eduardo  Leite (PSDB), discute opção de sexualidade, os  nossos  produtores e  lideranças do Agronegócio  estão perdendo o protagonismo de ser  o Estado celeiro do Agro – marca esta que por anos liderou no País. E, quando em solenidade nacional  que, perdemos  este referencial, preocupamos muito  com relação a importância do RS no cenário nacional  como produtor de  alimentos. Outro fato que, traz profunda  reflexão é com relação da perda de representatividade e de liderança no Agro. O Estado do Rio Grande do Sul com todas suas potencialidades e  capacidade de produção está empobrecendo cada vez mais pela falta de articulação e atitudes de nossos governantes e lideranças produtivas.

Exemplos de avanços

   Os alegretenses  lembram de como e as condições  que o então Provedor Antônio Jorge  de Lima Barcellos de Souza – recebeu a Irmandade da Santa Casa de  Caridade de Alegrete. Naquela manhã Ele, Raul Englert e Tailise Ribeiro Lemos, na parte da frente. Para assinar documentos, era preciso alguém liberar a cadeira. As janelas estavam caindo e o prédio em péssimas  condições de insalubres. Testemunhei o Antônio Jorge de Souza, pagar com dinheiro pessoal botijões de oxigênio para empresa entregar.... Sem crédito, salários atrasados meses, e outros fatos deploráveis!
Em 17 anos de profícuo trabalho da gestão de Antônio Jorge  Barcellos, a Santa Casa de Caridade de Alegrete chegou a marca de ser reconhecida Hospital referência Estadual em saúde e atendimento. Vários são selos de qualidade!

Santa Casa de Caridade 2

   Hoje, quando a atual gestão da Provedoria liderada pelo  empresário Roberto Luiz Segabinazzi e seus dirigentes de  mesa estão avançando em  grandes  melhorias, obras e novas conquistas é porque, teve dedicação, trabalho e muita dedicação de pessoas que, contribuíram de forma gratuitas e, continuam  contribuindo com excepcionais exemplos de gestão e transparência administrativa. São exemplos desta grandeza que, precisamos mostrar a sociedade  que apoia e participa de forma colaborativa em todas as campanhas!
Na terça-feira 6 de julho de 2021, durante “Voz do Empresário” – promovido pelo Centro Empresarial de  Alegrete, a cidade empresarial e demais segmentos sociais poderão conhecer  “in loco” nossas  afirmativas.
Então, fazer jornalismo com seriedade e pluralidade é ter visão de pontos fortes e reais de uma comunidade. Também!!!

Mais recursos aos cofres municipais

   Está prevista a Prefeitura de Alegrete receber dia 6 de julho de 2021, o montante de R$ 3.409.109,31 milhões de ICMS e R$ 1.532.301,93 milhões de Fundeb, referente à parcela da dívida de ICMS da CEEE-D pertencente aos municípios (25%). O total chega a R$ 4.941.411,24.
Todos os municípios gaúchos devem receber um montante referente à parcela da dívida de ICMS da CEEE-D. Conforme levantamento realizado pela área técnica de Receitas Municipais da Famurs, serão R$ 515 milhões referente ao imposto atrasado pela estatal. Outros R$ 288 milhões, do Fundeb, também devem ser repassados às prefeituras, totalizando R$ 804 milhões aos cofres gaúchos.
Para o prefeito Márcio Amaral, a conquista deste objetivo chega depois de muito esforço, para solucionar essa dívida histórica que se tinha com os municípios gaúchos. Com toda a certeza, estes recursos são muito bem-vindos em um momento de pandemia. Vamos aplicá-lo muito bem em nossa cidade”, afirma.

linha.png